Tudo sobre clareamento dental

Tudo sobre clareamento dental

Tudo sobre clareamento dental

Um sorriso branco e harmônico é o desejo de 9 em cada 10 pessoas. Prova disso é que, segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), a busca por clareamento dental cresce cerca de 30% ao ano no Brasil. Um procedimento simples e relativamente rápido, o clareamento é uma técnica que utiliza agentes clareadores para tornar os dentes, que ficaram escurecidos pelos mais diversos motivos, mais brancos.

Para isso, existem basicamente dois tipos de clareamento dental. O primeiro deles é o caseiro, em que a maior parte do tratamento é realizada pelo próprio paciente. Nesse caso, o procedimento é feito utilizando-se um agente químico dentro de uma moldeira. Todos os materiais são fornecidos pelo dentista, que é quem irá supervisionar o tratamento.

Já o clareamento realizado no consultório é feito a partir da aplicação de um agente químico oxidante sobre os dentes, que é um pouco mais potente. Em função disso, durante a aplicação gengiva, lábios e bochechas são protegidos para que o clareador não provoque queimaduras. Sobre o clareador, o dentista aplica uma fonte de energia ativadora. Essa energia pode ser luz halógena ou algum tipo de laser que irá intensificar o clareamento.

Como o clareamento funciona

O gel clareador utilizado durante o tratamento tem uma formulação ácida. Ao entrar em contato com a superfície do dente e sofrer a ativação, ele faz com que as partículas de pigmento que deixam o esmalte amarelado sejam desprendidas e eliminadas, deixando, assim, o dente mais branco. Em geral, o clareamento consegue atingir cerca de dois ou três tons mais claros.

Para chegar ao resultado esperado, não é preciso muito tempo, mas isso vai depender de cada caso. Em média, o clareamento dental caseiro dura em torno de 15 a 21 dias, com aplicação diária. Já o clareamento feito em consultório pode ser realizado em até três sessões.

Assim como o tempo de tratamento, a durabilidade dele também vai depender de cada caso e, principalmente, dos hábitos alimentares, da higiene e do quão regularmente o paciente visita o dentista. Em pacientes que são fumantes, bebem muito café, refrigerantes à base de cola, chás escuros ou vinho tinto, o clareamento tende a durar menos. Mesmo assim, a boa notícia é que os dentes clareados nunca voltam à cor inicial – aquela de antes do tratamento.

Vale lembrar que o clareamento dental só pode ser feito em pacientes que estejam com a saúde bucal em dia, sem problemas gengivais, cáries ou outros quadros bucais. Outro cuidado importante é quanto à idade: o procedimento não pode ser feito por pacientes muito jovens. A idade mínima para esse tipo de tratamento é de 16 anos.

Danos e sensibilidade

Ao contrário do que muita gente pensa, o clareamento dental não provoca nenhum tipo de enfraquecimento do esmalte ou da dentina. Há, inclusive, vários artigos científicos que garantem isso. Utilizada desde os anos 1980, a técnica também não provoca nenhum tipo de dano à estrutura do dente e muito menos à saúde do paciente.

Outra dúvida muito comum é com respeito à sensibilidade. Em alguns casos, o clareamento dental pode sim provocar uma sensibilidade, que é temporária. No entanto, no consultório, para evitar isso, o dentista costuma aplicar, antes e após o clareamento, um gel dessensibilizante que auxilia a remineralização do esmalte. Além disso, aplicações tópicas de flúor também podem ser feitas para melhorar os resultados.

Onde realizar o clareamento

Quem está em busca de um sorriso branco e saudável pode realizar seu clareamento dental na Hori Clínica. A profissional responsável por esse tratamento é a Dra. Renata Savassa. Graduada pela Universidade de São Paulo (USP), a Dra. Renata também é especialista em Dentística Restauradora  pela Faculdade São Leopoldo Mandic. Acesse o nosso site e saiba mais sobre esse e outros tratamentos oferecidos pela Hori.



Posts mais vistos